Programação

O Druida Tool’s Sute, permite que seu usuário crie, edite, compile, e envie códigos de programação para o Arduino, direto da sua interface de edição. Vamos demonstrar aqui, como é fácil e rápido realizar essas operações.

Índice:

  1. Criando um novo projeto
  2. Tela Inicial do Druida Tool’s Suite
  3. Selecionar o tipo de aplicação
  4. Configurando o Hardware
  5. Navegando no código
  6. Criando o código
  7. Enviando o código

1 – Criando um novo projeto

Ao abrir o programa pela primeira vez, será exibido a tela para a criação de um novo projeto:

Tela Inicial

Aqui, você deve digitar o nome da aplicação, e selecionar a pasta de destino da mesma. Feito isso, clique em ‘Criar Projeto’.

2 – Tela Inicial do Druida Tool’s Suite

Tela Inicial do Druida Tool’s Suite

A tela inicial, é dividida basicamente em 5 seções.

  1. Navegação: A seção maior no centro da tela, permite que o usuário fique por dentro das novidades, acesse diversos tutoriais, e realize a pré-venda do produto.
  2. Barra Superior: Gerencie o arquivo do seu projeto aqui.
  3. Barra Inferior: Acesse as principais ferramentas do programa aqui.
  4. Aprendizado: Lista dos tutoriais do guia rápido inicial, onde o usuário pode aprender a como usar as ferramentas principais do programa.
  5. Reportar Bug: Como o programa ainda está em beta, o usuário pode passar por algum erro. Através desta seção, é possível solicitar a correção deste erro.

Para começar a programar sua aplicação, clique no ícone ‘Druida IDE’

Ícone do Druida IDE

3 – Selecionar o tipo de aplicação

Após clicar no item, será exibido a tela de seleção do tipo de projeto:

Seleção do tipo do projeto

Aqui, você pode selecionar a opção que mais lhe agrada:

  • Projeto Em Branco: O código vem vazio.
  • Projeto Padrão do Arduino: Carrega o código inicial padrão do Arduino.
  • Projeto Padrão do Druida IDE: Carrega o código inicial padrão do Druida, que já vem com as bibliotecas e procedimentos necessários para te auxiliar em processos de simulação ou criação de interfaces gráficas.

Se quiser você pode deixar marcada a opção ‘Iniciar assistente de configuração de hardware’ para que o Druida possa te auxiliar a configurar os pinos do Arduino.

Por agora, utilizaremos a opção ‘Novo Projeto Padrão do Druida IDE’ já pensando no próximo tutorial (Simulação), e manteremos a opção do assistente de hardware selecionada, para demonstrarmos como utilizar essa ferramenta. Clique em ‘OK’ para criar o programa.

4 – Configurando o Hardware

Tradicionalmente, a configuração dos pinos do Arduino é realizada manualmente dentro do ‘void setup()’. No nosso caso, vamos utilizar o assistente de configuração do Druida, que facilita o processo, além de manter o seu código muito mais organizado.

Assistente de configuração de Hardware

Para utilizar o assistente, você deve primeiramente selecionar o modelo da sua placa. Feito isso, os pinos serão listados, inicialmente todos desativados e sem nome. No nosso caso, iremos nomear o pino 13 como “pinoLed”, e vamos configurá-lo como saída conforme a imagem acima. Repare que você não pode utilizar caracteres especiais, e nem espaços no nome do pino, do contrário, irão acontecer erros ao compilar o seu código. Feito isso, clique em ‘OK’ para abrir o editor de código.

5 – Navegando no código

Após terminar a configuração, será aberta a tela de edição do Druida IDE.

Tela de edição do Druida IDE

Para navegar no seu código, você pode utilizar a barra de rolagem no lado direito da tela, a caixa “Gerenciamento do Código”, ou os botões de navegação que ficam no topo da sua tela de edição, conforme imagem abaixo.

Botões de navegação: Escopo/Variável

Esses botões são muito úteis, o botão da esquerda permite que você navegue entre os principais escopos do seu programa, e o da direita, entre as variáveis declaradas dentro do escopo selecionado.

Além disso, temos a caixa “Lista de Arquivos”, onde podemos consultar os arquivos da nossa aplicação. Clique no botão ‘+’ para expandir a pasta raiz ‘Main’.

Lista de arquivos

Entenda o que são esses arquivos:

  • Druida.ino: Gerado pela IDE, quando você seleciona a opção “Projeto Padrão do Druida IDE”. Nesse arquivo temos os códigos necessários para que sejamos capazes de simular, e criar interfaces gráficas.
  • Main.ino: Arquivo principal do seu código, sempre será gerado, e não pode ser apagado. Onde ficam os procedimentos “void setup()”, e “void loop()”
  • Pinout.cfg: Gerado pelo Assitente de Configuração de Hardware. Você pode abri-lo para visualizar a configuração da sua aplicação, e realizar edições posteriores. Esse arquivo não é carregado para o Arduino.
  • Pinout.h: Gerado pelo Assitente de Configuração de Hardware. Nesse arquivo, temos o código fonte de configuração do hardware gerado e atualizado pelo assistente sempre que fazemos alguma alteração.

Vamos visualizar como o assistente configurou nossa aplicação, para isso podemos abrir o arquivo “Pinout.h”, mas vou aproveitar este momento para mostrar outra forma de acessar essa configuração.

Acessando a configuração dos pinos

Dentro do “void setup()” temos o procedimento “setupPins()”. Se você clicar duas vezes sobre ele, irá selecioná-lo. Depois disso, clique com o botão direito do mouse, e selecione a opção “Ir Para Definição”.

Perceba que todos os arquivos de código da sua aplicação, serão abertos, e você será levado até a declaração do procedimento que antes estava selecionado.

Temos selecionado a declaração do procedimento pesquisada

Essa ferramenta também é extremamente útil para navegar rapidamente pelo seu código.

Vamos agora, criar o código nossa aplicação. Para isso volte ao arquivo “Main.ino” através das abas superiores.

Clique na aba “Main.ino”

6 – Criando o código

Dentro do “void loop()”, logo após o procedimento “comunicacao Druida()” digite os comandos necessários para acender o nosso led.

Sugestões de código

Perceba que a todo momento durante sua digitação, vão aparecer sugestões de trechos de código, de acordo com as letras que você digita. Cada sugestão tem o desenho de um símbolo, e cada símbolo tem seu significado: (os símbolos abaixo são da versão 1.2.3 obtida em pré-venda).

Trecho de código de programação (if, for, while…)

Variável (temperatura, statusLed, x…)

Constante (pinoLed, valorInicial, pi,…)

Objeto, classe ou estrutura (Serial, EEPROM…)

Método, atributo, função ou procedimento (begin, write, digitalWrite…)

Tipo, ou construtor de um tipo (Servo, Stepper…)

Biblioteca (Servo.h, Stepper.h, EEPROM.h…)

Para navegar entre as sugestões utilize as teclas direcionais ‘cima’ e ‘baixo’, e pressione a tecla ‘TAB’ ou ‘Enter’, para confirmar a seleção. No nosso caso, precisamos do procedimento ‘digitalWrite(pino, estado)’. Após selecioná-lo. precisamos alterar dois parâmetros: pino, e estado. Se você clicar duas vezes em cima do parâmetro ‘pino’, ele será selecionado, e você poderá digitar sobre ele o valor desejado. Altere os parâmetros até que seu código fique como abaixo:


void loop() 
{
	// loop principal:
	comunicacaoDruida();
	digitalWrite(pinoLed, estado)
}

Perceba que esse código ainda é inútil. Vamos transformá-lo na aplicação básica blink(), que seria o código que pisca o led do Arduino. Para isso, vamos ler o estado do led, e após 1000 milissegundos vamos inverter o seu estado usando o operando “!”. O código ficará conforme abaixo:


void loop() 
{
	// loop principal:
	comunicacaoDruida();
	bool statusLed = digitalRead(pinoLed);
	delay(1000);
	digitalWrite(pinoLed, !statusLed);
}

7 – Enviando o código

Por fim, podemos conectar o Arduino ao PC. Ao realizar essa ação, o Druida irá gerar uma notificação da detecção do novo dispositivo.

Notificação de dispositivo detectado

Assim fica fácil saber em qual dispositivo está conectado o seu Arduino. Agora basta selecionar a porta em que ele está conectado. Caso necessário, também é possível alterar o modelo da placa.

Parâmetros para envio do programa

Os demais parâmetros (velocidade, tempo de requisição de rede), são irrelevantes para o envio do código. Assim, nosso código está pronto para ser enviado. Basta utilizarmos o botão upload para realizar essa ação.

Deve ser utilizado o botão ‘Upload’

Uma animação surgirá, sinalizando que a compilação foi iniciada. Por fim, teremos uma mensagem de aviso, informando se o envio do programa foi bem sucedido.

Mensagem final

Para questões como análise de erros, e depuração, iremos fazer um tutorial mais completo em separado.

No próximo tutorial, iremos aprender como realizar simulações, utilizando o software Druida.

Qualquer sugestão ou dúvida que não tenha sido esclarecida, deixe nos comentários.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: